Você está em:   Home Afasia global prediz mortalidade na fase aguda de um primeiro acidente vascular cerebral isquêmico
Aumentar Textos Diminuir Textos Texto Normal
Imprimir E-mail
Atualidades em Neurologia - Últimas Notícias
Tratamento de polineuropatia desmielinizante inflamatória crônica com pulsoterapia com esteróides orais
        
A polineuropatia demielinizante inflamatória crônica (PDIC) é uma neuropatia imunomediada que responde a vários tratamentos imunossupressores. A terapia com prednisona oral diária é eficaz e barata, mas o tratamento a longo prazo que é geralmente necessário provoca efeitos adversos graves. Conseqüentemente, a imunoglobulina intravenosa e a troca de plasma têm sido amplamente utilizadas para tratar PDIC, tornando o tratamento caro e inconveniente. Um regime de esteróides que reduzem os efeitos adversos, mas preservam a eficácia, simplificaria o tratamento. A pulsoterapia com esteróides tem ações não-genômicas, não vistas com esteróides em dose baixa, incluindo rápida inibição da liberação de ácido aracnóide e da mobilização de cálcio e sódio através das membranas plasmáticas de células imunes. Um grupo de pesquisadores americanos realizou um estudo, recentemente publicado na revista Archives of Neurology, com o objetivo de avaliar a eficácia, a segurança e a tolerabilidade da pulsoterapia com metilprednisolona em pacientes com PDIC.

Esse estudo prospectivo aberto foi realizado na Universidade do Centro de Neuropatia de Minnesota, Minneapolis, com dez pacientes (três mulheres e sete homens) com PDIC acompanhados por pelo menos 22 meses. O escore neuromuscular e o escore de incapacidade INCAT (Inflammatory Neuropathy Cause and Treatment) foram utilizados como medidas de resultado para a eficácia; o peso, a pressão sanguínea, as alterações na densidade óssea e o questionário de efeito adverso relacionado ao esteróide foram usados como medidas de resultado para a segurança.

Esse regime de esteróide levou a uma melhora significativa na fraqueza e na incapacidade em todos os pacientes tratados e a uma remissão sem tratamento em 60% dos pacientes. O tratamento foi bastante bem tolerado e somente um paciente descontinuou o tratamento por causa de efeitos adversos. A osteoporose induzida por esteróide permaneceu um problema, especialmente em pacientes mais velhos.

Os autores concluíram que a pulsoterapia com metilprednisolona oral pode ser eficaz no tratamento a longo prazo de PDIC e é relativamente bem tolerada. Afirmaram também que a remissão pode ser induzida na maioria dos pacientes, especialmente naqueles com uma menor duração da doença.